Buscar
  • Claudia Vilas Boas

Lar

De todas as provas pelas quais passamos nessa vida, uma das mais difíceis é a convivência, principalmente a convivência no âmbito familiar.

Talvez a melhor forma de conhecermos verdadeiramente alguém, seria observar como ela se comporta dentro de sua própria casa.

Quantas pessoas são gentis, educadas e admiráveis no convívio social, mas com as pessoas mais próximas são muitas vezes quase tiranos. Comportam-se com impaciência, grosseria, desdém, e até mesmo, indiferença.

Muito disso se deve ao fato da certeza de serem amados e da condescendência dos demais.

Em todo núcleo há os que ali estão com a missão de trazer equilíbrio. Tarefa nada fácil, e nem sempre concluída com êxito.

Muitos vivem em uma casa, mas não conseguem fazer dela um lar.


“Do latim Lar, Laris (espírito protetor da casa e da família).”


Para se construir um lar, são necessários muito mais que paredes, móveis e utensílios. A base, os pilares de sustentação, a argamassa, necessitam de um componente muitíssimo especial…AMOR.

Somente assim, pode-se edificar o local com solidez, prosperidade, harmonia, equilíbrio e paz.

Não há regra para se determinar quem assumirá o papel de engenheiro dessa importante construção. Podem ser os genitores, filhos, agregados e até mesmo certos animaizinhos que chegam para ensinar o amor na forma mais pura. Mas, com certeza, sempre há ao menos uma criatura estrategicamente colocada naquele meio, com a finalidade de proporcionar o aprendizado, tentando abrir os olhos da alma, na tentativa de revelar a essência.

Talvez você que esteja lendo essa pequena reflexão, seja exatamente essa pessoa. Pode até ser que esteja sentindo-se cansado, solitário, à beira da desistência. Afinal, a tarefa é trabalhosa, árdua, sem nenhuma garantia de vitória.

Contudo, o desafio maior não é mudar o entorno, mas achar o nosso próprio equilíbrio, a nossa paz no meio do caos, e somente assim conseguir expandir essa energia de forma tão potente, que ninguém ficará indiferente à ela.

Se queremos paz, sejamos paz, se queremos amor, sejamos amor, se queremos serenidade, sejamos serenos.

O exercício é diário, haverá dias de êxito e outros de derrota. Dias de paredes geladas e outros de delicioso aconchego.

Cada tijolinho assentado, dia após dia, com a liga mais resistente, unindo mente e coração, ao final resultará no tão almejado e aconchegante lar, cujas bases se encontram no mais profundo recanto da alma. E que venham os tornados, tufões, furacões, terremotos, tempestades e toda sorte de intempéries, a estrutura é forte e nada poderá abalar.

#pracegover #pratodosverem Imagem de uma frondosa árvore com fortes raízes, tendo ao centro uma porta com uma pequena janela iluminada, em meio a uma floresta, invadida por raios de sol.


37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo