Buscar
  • Claudia Vilas Boas

Superfície

Há fases em nossa vida, em que percebemos estar vivendo somente na superfície. E se faz necessária uma boa sacudida para trazer a tona a verdadeira identidade.

Nos apegamos a aparências e acabamos por encobrir e esquecer o que realmente é importante.

Permanecer na superfície é cômodo e seguro, mergulhar em nossas próprias profundezas é realmente assustador e exige coragem.

Um mundo novo pode se abrir e mudar totalmente nossa perspectiva sobre o que nos rodeia e sobre nossa visão a respeito de valores e comportamentos.

Deixar de dar valor a atitudes aparentes e valorizar atitudes reais e significativas.

Nem sempre constância, por exemplo, é sinal de presença. A presença real exige uma verdadeira intenção, uma entrega.

Hoje a moda é grupo para tudo, onde curiosamente as regras nunca são seguidas. O verdadeiro motivo da criação acaba se perdendo em meio a tantos memes, bom dia, boa tarde, boa noite, piadinhas e por aí vai.

É bom para distrair, mas com isso as relações ficam meio dispersas.

Bom mesmo é aquele inesperado e particular “E aí? Tudo bem com você?”,

“Passadinha rápida pra saber se está tudo bem”.

Qualidade, verdade e intensidade, superam de longe a quantidade.

Esses pequenos terremotos internos, nos mostram quanto tempo gastamos em superficialidades, tentando parecer e deixando de lado o mais importante e essencial. Deixamos de viver o que realmente somos.

Perdemos tempo com coisas inúteis e fúteis, e não gastamos alguns minutos para cultivar e preservar relações que acabam se perdendo.

Vivenciar sentimentos, praticá-los e compartilhá-los sem medo de julgamentos, é o que, com certeza, traz para nossas vidas pessoas com a mesma sintonia, com as quais poderemos criar laços e nos sentirmos livres e à vontade.

Arrisque-se, saia da superfície e mergulhe, é nas profundezas que se encontram os maiores tesouros.

#pracegover imagem de uma mulher em pé, com um vestido vermelho, um lenço roxo cobrindo seus cabelos e descendo pelos ombros meditando submersa em águas de um azul cristalino, de suas mãos em prece se irradia uma luz verde, de seus lábios saem bolhas de oxigênios.


26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Limões

Distopia

Milagre