Buscar
  • Claudia Vilas Boas

Invisibilidade

Outro dia, recebi de uma amiga, um vídeo sobre uma mulher que relatava o momento em que ela começou a perceber que era invisível aos seus familiares, às pessoas que a rodeavam .

E foi muito impactante, porque me dei conta do quanto isso acontece diariamente.

Quantas vezes nos tornamos a principal engrenagem que faz funcionar a vida e a rotina das pessoas que nos cercam? E isso acaba se tornando tão mecânico, que deixamos de ser vistos como indivíduos. Passamos a ser a peça que faz a casa ou o ambiente profissional funcionar. Perdemos nossa condição humana.

Essa mulher do vídeo, ganha de presente de uma amiga, um livro sobre as grandes catedrais da Europa, com uma dedicatória dizendo: “Com admiração, por tudo que você constrói e ninguém vê”. O livro falava das majestosas catedrais que foram construídas por pessoas anônimas. Algumas levaram tanto tempo para ser terminadas que muitos de seus construtores nem conseguiram vê-las concluídas. Sacrificaram-se dia a dia sem ter nenhum reconhecimento, mas acreditavam que Deus veria sua obra, e isso bastava.

De repente entendi, que talvez a invisibilidade seja um super poder, a gente só se torna visível a quem se importa verdadeiramente. A quem nos olha e vê, não somente a aparência física, mas a essência. Não só as nossas atitudes, mas o resultado delas.

Pessoas como aquela amiga que com aquele gesto, fez com que aquela pessoa admirável percebesse o quanto ela era incrível, mesmo que ninguém lhe dissesse isso.

E ela conclui dizendo que, naquele momento, ao fechar aquele livro, era como se Deus dissesse a ela: “eu te vejo”. E nesse exato instante percebeu quantas coisas maravilhosas ela fazia, o quanto ela era importante na vida das pessoas.

E independente de qual seja a nossa crença, sempre seremos vistos.

Só precisamos estar atentos aos sinais, assim como para ela esse “eu te vejo” chegou por meio dessa dedicatória no livro, para mim chegou por meio desse vídeo, em um momento em que eu também estava questionando essa invisibilidade.

E me dei conta de que eu também estava deixando de reconhecer meus talentos e dedicação e, também, os construtores que me auxiliavam no trabalho de conclusão da minha catedral.

Quantas vezes do nada, nos momentos em que mais precisamos, recebemos uma mensagem inspiradora, um vídeo como esse, ou simplesmente um bom dia. Até mesmo quando alguém que se lembrou de você, resolve perguntar se está tudo bem. São nossos anjos.

Deus, seja você de que religião for, sempre nos manda sinais e muitas vezes nós nos fazemos cegos e surdos. E mesmo que você não acredite em nenhum Deus, ou em religião, preste atenção, nas circunstâncias de sincronicidade que a vida sempre nos apresenta.

Então, que nos tornemos mais atentos e mais gratos, pelas nossas conquistas, nossos méritos e também àqueles que além de perceberem e valorizarem nossas capacidades, nos ajudam a ver o mundo com os olhos do coração.

#pracegover foto de uma mulher segurando folhas de uma planta, na frente de um dos olhos, sendo que em uma delas foi recortado um coração, abertura pela qual ela está olhando.


40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tropeços