Buscar
  • Claudia Vilas Boas

Egocentrismo

Será que a imagem que temos de nós mesmos corresponde à realidade?

O quanto de nossa verdadeira essência temos coragem de revelar a nós mesmos? Com muita facilidade detectamos os erros alheios. Essa é também uma forma um pouco desonesta de encobrir nossas próprias falhas.

Quando julgamos, criticamos, xingamos e agredimos quem pensa diferente de nós, por exemplo, está clara a intenção de controle.

De querer impor um pensamento de forma hegemônica, muitas vezes usando até da influência que se possui em seu círculo de relacionamento para constranger quem ouse discordar.

E com isso se perdem oportunidades evolutivas, que todo debate de ideias nos proporciona.

Quem está certo e quem está errado? Não sabemos. Acredito que ninguém.

Não acredito que alguém possa ter o absoluto dom da verdade.

Há um provérbio que diz que a verdade é um espelho que caiu das mãos de Deus e se quebrou. Cada um que recolhe um pedaço diz que toda a verdade está naquele caco.

Por isso entendo que somente a união de todos esses pedaços traria a todos a mais pura verdade.

Contudo, sempre haverá aqueles tão obcecados pelos seus pequenos cacos, que serão controlados por eles. Como no filme o Senhor dos Anéis, somente alguém de coração puro, corajoso e fiel conseguiria controlar o anel. E na minha interpretação o personagem com todas essas características é um coadjuvante. Não leva os louros da vitória, mas sem ele nada teria sido possível. Sua humildade e bondade foram essenciais para o sucesso da empreitada.

Quanto mais desapegados nos tornamos, mais nos distanciamos dos julgamentos, mais nos aproximamos da verdade. Da verdade do que nos rodeia e também nossa verdade, do nosso propósito.

Aqueles que se recusam a dialogar e acusam outros com ódio, na maioria das vezes enxergam no outro o que trazem dentro de si, mas não aceitam. A ira na realidade é contra a sombra que existe escondida no seu interior. Mas é muito mais simples terceirizar as responsabilidades do que assumí-las.

Uma pessoa que se acha portadora da razão e com direito de ironizar, ridicularizar e humilhar com atos e palavras, aqueles que têm outra visão de mundo, na realidade chama muito mais atenção para quem ela é do que para aqueles a quem as ofensas são dirigidas.

Toda vez que a atitude de alguém me irrita muito, por exemplo, eu tento buscar o porque daquele incômodo. O que eu tenho que curar dentro de mim? Arrogância, intolerância, rancor, ignorância?

Quando conseguimos identificar isso, e tentamos trabalhar honestamente para nos melhorarmos, o outro deixa de nos atingir. A nossa sombra é que dava poder a ele.

Quando estamos realmente seguros sobre nossas escolhas e nossos caminhos, as condutas alheias não nos desequilibram. Estamos abertos aos movimentos e ao conhecimento.

Quando entendemos que a nossa visão de mundo é resultado de vivência, estudos e uma constante busca por aprendizado, e que esse processo é absolutamente individual, compreendemos que fazemos parte do mundo, mas não somos o centro dele.

#pracegover imagem de um globo formado por fotos de diversos rostos, sobre uma tela de fundo formada também por fotos de rostos, estes desfocados, causando a impressão de movimento.


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Limões

Distopia

Milagre