Buscar
  • Claudia Vilas Boas

Desenho da Alma

Atualizado: 8 de fev.

Há alguns dias li um texto do Vital Frosi sobre plano de alma e nossas escolhas dentro dele, o qual me trouxe algumas reflexões.

Imaginei o plano de alma como aqueles desenhos para colorir, em que há uma escala de cores correspondendo a cada parte do desenho.

Então, vamos supor que nosso plano de alma seja esse desenho, dividido em várias partes numeradas, às quais correspondem uma determinada cor.

Podemos seguir essa predefinição ou mudar algumas cores, até todas se assim desejaremos.

De tais escolhas obteremos o resultado final, que pode ser pior ou melhor do que o projetado inicialmente.

Um desenho talvez mais sombrio ou todo borrado, até mesmo incompleto, ou muito mais vistoso, alegre e iluminado.

A caixa de lápis coloridos está à nossa disposição, cabendo a cada um escolher com quais matizes deseja traçar o próprio destino.

Destino, eis aí uma palavra que traz em si muita controvérsia. Quando buscamos sua definição no dicionário, encontra-se o seguinte: “O destino é uma sucessão inevitável de acontecimentos à qual nenhuma pessoa pode escapar.” Muitos entendem que temos um destino traçado de forma imutável, contra o qual nada podemos fazer.

Será?

Quando se atribui acontecimentos ou fatos ao destino, anula-se completamente tanto o mérito como a responsabilidade. Como se nossas escolhas e atitudes não produzissem nenhum resultado, como se fôssemos apenas marionetes sem livre arbítrio.

Destino também tem como sinônimos: rota, caminho, rumo, direção.

Bem, caminhos e direções podem ser mudados de acordo com as escolhas, não é mesmo?

Portanto, a meu ver, nosso destino vem com o desenho delineado, com algumas sugestões de como o colorir, mas o resultado final dependerá do empenho e talento de cada um.

Preencher esse desenho exige paciência, aprendizado, capricho e persistência.

Nessa caminhada talvez encontremos pessoas que nos auxiliem com conhecimentos e técnicas, todavia, o trabalho a ser feito depende exclusivamente de nossas mãos, nosso tempo e dedicação.

Podemos escolher materiais e texturas diversas, porém, o importante é que consigamos concluir o nosso desenho de alma, através de nossas experiências, com nosso próprio esforço e escolhendo...as nossas cores.


Segue o link do texto citado:


https://www.facebook.com/1712540583/posts/10209131382237659/?d=n


#pracegover #pratodosverem Ilustração de vários lápis coloridos, dispostos em um círculo, tendo suas bordas pintadas com respingos, como na técnica de aquarela.



41 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo