Buscar
  • Claudia Vilas Boas

A sutil arte de complicar

Atualizado: Mar 14

Quem nunca ouviu ou até mesmo usou a expressão “procurar pelo em ovo”?

Pois é, e tem gente que é tão "expert" nisso, que acha logo uma peruca inteira, e bem cabeluda.

Ah, a imaginação!!! É um solo fértil, muito fértil, e dependendo do que se semeia com ela, a colheita pode ser positiva ou negativa.

Acredito que a base para esse tipo de comportamento é a falta de confiança.

Por vezes falta de confiança no outro, e por vezes falta de autoconfiança.

Transfere-se para o outro a própria visão a respeito das atitudes alheias.

Há pessoas, por exemplo, que não sabem receber elogios, e muitas vezes os julgam como algo falso, por não enxergarem em si próprias as qualidades vistas por terceiros.

E em alguns casos o “achismo” é tamanho, que acaba se tornando uma realidade absolutamente concreta na mente da pessoa. E será muito difícil mudar essa concepção. A peruca foi colada no ovo com “superbonder”. Aí é mais fácil quebrar o ovo do que arrancar a peruca.

O ser humano é mesmo um bichinho interessante e complicado.

Criam expectativas em relação a comportamentos de terceiros e se decepcionam quando a realidade não corresponde ao que se imaginou.

Seria mais fácil se as relações acontecessem de forma mais direta e simples, respeitando-se as diferenças. Dialogando, perguntando, ouvindo antes de tirar conclusões e expressando opiniões sem a tentativa de convencer.

Realmente "seria" o ideal e evitaria tantos mal-entendidos e atritos.

Mas, como já dizia Confúcio: “A vida é realmente simples; nós é que insistimos em torná-la complicada.”

#pracegover foto de três cascas de ovos, com olhos e boca desenhados e cabelos de salsinha e cebolinha.


107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Tropeços